VPN O que é, para que serve e como se utiliza uma Rede Privada Virtual?

Segurança e anonimato são duas características muito desejáveis em nossas conexões. Por este motivo, a VPN ou rede privada virtual é um serviço que está sendo cada vez mais acessado.

Esta é uma rede que mascara nosso endereço IP, ao mesmo tempo em que nos dá grande segurança ao criptografar as informações, tornando-se um túnel de acesso direto ao nosso destino.

Naturalmente, neste post vamos lhe dizer em detalhes o que é e como funciona, além de lhe informar, é claro, quais são suas vantagens e desvantagens, os tipos que existem, os usos que podemos dar a eles, ensinamos como configurar sua própria rede e, claro, damos nossas recomendações para que você possa experimentar alguns desses serviços gratuitos e conhecer melhor, e na prática, em que consiste uma rede virtual privada.

O que é uma VPN e como ela funciona?

VPN significavirtual private network” (rede virtual privada). Refere-se a uma tecnologia de rede de computadores cuja principal característica é servir como uma extensão segura para uma LAN que está sobre outra rede não controlada.

Desta forma, um computador conectado a esta rede poderá enviar e receber informações sobre outras redes, sejam públicas ou compartilhadas, da mesma forma como se fizesse parte de uma rede privada, incluindo suas políticas de gerenciamento, segurança e funcionalidade.

Para que isso ocorra, uma conexão virtual ponto-a-ponto deve ser feita usando criptografia e/ou conexões dedicadas.

É claro que podemos conseguir vários dispositivos para conectar uns aos outros dentro da mesma rede sem a necessidade de cabos, tornando possível a comunicação e troca de informações com segurança e privacidade.

Para poder criar, configurar e utilizar uma VPN, é necessário, pelo menos, o seguinte

  • Possibilidade de verificação pelo usuário. Isso impede o acesso a pessoas não autorizadas. Assim, um usuário ausente não poderá entrar em uma rede privada virtual da empresa, um usuário pagante não poderá acessar alguém que não tenha pago uma taxa, etc.
  • Controle de acesso. Da mesma forma, o acesso específico deve ser dado a um ou outro lugar e dados.
  • Diário de atividades. O provedor de rede terá um registro do uso da rede por tempo, usuários e uso.
  • Método de criptografia de dados. Deve haver uma forma de criptografia da informação para que ela possa ser transmitida com a certeza de que ela não pode ser interpretada se for interceptada. Para este fim, alguns algoritmos de criptografia como 3DES ou AES são utilizados. Com eles, os dados são lidos apenas pelo remetente e pelo receptor.
  • Integração dos dados. Devemos possibilitar que os dados permaneçam inalterados durante toda a sua jornada.
  • Introdução do algoritmo de segurança SEAL.
  • Manutenção de chaves. A criptografia deve ser continuamente atualizada, com um sistema de gerenciamento eficiente e suave de chaves.
  • Assinatura inegável. As mensagens são assinadas e este fato não pode ser negado.

O funcionamento deste recurso é bastante simples. De forma convencional, para acessar qualquer página que você entre em contato com seu IPS, ou seja, o provedor de internet com o qual você tem a conexão contratada. Este é aquele que, através de seus servidores, atende às suas demandas e as lança onde elas pertencem. Isto significa que, obviamente, você será visto por ele.

Quando você utiliza uma rede privada virtual, você faz uma chamada para um servidor VPN, cuja conexão é criptografada. Isso garante que seu provedor não veja os dados sendo enviados por você; aos seus olhos, é o servidor VPN que está solicitando acesso aos sites, não você. É como uma máscara que colocamos para que pareça boa para nós.

Obviamente, não devemos esquecer que as máscaras são sustentadas por elásticos finos e que, portanto, não é que sejamos invisíveis ou anônimos, simplesmente temos mais uma camada para nos cobrir.

Por que usar um servidor VPN e que vantagens ele tem?

Um endereço IP é um número que é atribuído a dispositivos que se conectam a uma rede a fim de identificá-los. Este recurso os torna muito perigosos, pois qualquer pessoa com acesso a essas informações pode descobrir dados pessoais sobre qualquer um de nós.

Portanto, a utilização de uma VPN deve começar a ser uma prioridade para qualquer usuário de Internet hoje em dia, pois os benefícios que eles não oferecem são óbvios:

  • Você poderá contornar a censura geográfica da Internet, pois podemos escolher um servidor hospedado no país de nossa escolha.
  • Eles escondem seu endereço IP de tal forma que ninguém pode decodificá-lo para obter informações dele sem a sua autorização.
  • Protege você dos riscos de utilização de redes WiFi públicas, pois todo o tráfego que passar pelo seu aparelho será segurado.
  • Será fácil para você evitar as limitações de largura de banda que as companhias telefônicas utilizam para insistir em planos mais caros.
  • Você evita blocos de firewall porque seu IP criptografado não será aplicado tão facilmente.
  • Ele protege você dos riscos de download de conteúdo via P2P, especialmente quando se trata de conteúdo pirata, pois ninguém poderá saber o seu endereço de Protocolo de Internet.
  • O uso de uma VPN também pode melhorar sua experiência em jogos online, contornando blocos geográficos para acessar conteúdo exclusivo de determinados países.

Quais são as vantagens e desvantagens de usar uma Rede Privada Virtual ao navegar na Internet e trocar seu ip?

A priori, vemos que este recurso é o mar de interesse. Entretanto, antes de continuar, seria melhor conhecer, ponto por ponto, suas coisas boas e ruins, para que possamos ser muito claros sobre tudo e considerar sua contratação e uso sem ter dúvidas sobre o que vamos obter e a que estamos expostos. Deixe-nos ver.

Benefícios e vantagens

É claro, desfrutar deste serviço tem muitas coisas boas:

  • Compatível com qualquer aplicação. Todo o tráfego de internet é roteado, o que torna a conexão VPN possível em qualquer aplicação.
  • Conexão simples. Você só tem que configurar a conexão uma vez e então você pode conectar e desconectar à vontade sem qualquer dificuldade. E você pode fazer isso a partir de diferentes dispositivos em diferentes lugares.
  • Mais segurança. A segurança é aumentada, permitindo-nos enviar informações de forma privada, ocultar nossos dados de identificação (IP, localização), não estar tão expostos quando nos conectamos a redes públicas, etc.
  • Localização falsa. Isso nos permite, além de não estarmos relacionados a um local específico, acessar lugares proibidos no local em que estamos ou, simplesmente, a recursos disponíveis em outros locais.
  • Atividade de ocultação. Com uma VPN o provedor de internet não saberá mais o que você está fazendo com o serviço deles. No entanto, não se deve esquecer que o gerente de VPN o faz.
  • Econômico. As redes privadas virtuais são mais econômicas do que outros recursos destinados a atender algumas das mesmas necessidades em que estamos trabalhando aqui.

Riscos e desvantagens

Por outro lado, também encontramos alguns aspectos negativos a serem considerados:

  • Rastreamento de usuários. Existem serviços que rastreiam o usuário para obter informações para projetar suas estatísticas de uso e navegação; estes são geralmente os gratuitos. Fique de olho neste aspecto se você não quer que sua atividade seja usada para revelar seus hábitos de consumo na rede, embora ninguém vai lhe apontar diretamente, é claro.
  • Abrandamento da conexão. Esta é uma consequência direta da criptografia de informações.
  • Má informação. A localização nem sempre pode ser conseguida por deturpação. Isto é muito mais difícil se você se conectar a partir do seu celular, pois ele está em movimento e se conecta a várias redes, armazenando essa informação sem que você sequer saiba.
  • Segurança transitável. Atingimos mais uma camada de segurança, mas ela não é impenetrável.

Para que serve uma rede VPN e quais são os seus reais benefícios?

Já vimos para que serve, de uma maneira geral. Entretanto, seu funcionamento pode ser útil em tarefas muito diferentes, o que o torna um recurso utilizado por usuários com necessidades muito diferentes. Vejamos as utilidades mais claras que lhe são dadas.

Consumo de conteúdo restrito

A VPN lhe servirá para consumir todo tipo de conteúdo que, de uma forma ou de outra, tenha sido restrito a você. Estamos falando daquele que não está disponível, por vários motivos, em seu país, como foi o Netflix anos atrás na Espanha ou como acontece hoje com o Facebook na China.

Assim, se no lugar onde você está você não pode desfrutá-los, você falsifica seu endereço para fazer crer que você está em outro lugar onde eles são acessíveis.

É também aqui que entram as restrições impostas por circunstâncias especiais, seja pelo próprio provedor ou por níveis inferiores (por exemplo, computadores de bibliotecas que não permitem acesso a sites de visualização de vídeo para não consumir toda a largura de banda). Com a VPN os dados são criptografados, assim você não sabe quais sites você está acessando.

P2P Downloads

Os downloads P2P nem sempre são fáceis, e isso se deve em grande parte ao boicote dos provedores de internet, que bloqueiam ou pelo menos dificultam o download de conteúdo.

Por quê? Bem, antes de tudo, você está gerando muito tráfego, e embora seus limites sejam praticamente incalculáveis, a verdade é que eles multiplicam a largura de banda de milhares e milhares de clientes significa que, no final das contas, isso pode ser reduzido.

Por outro lado, há, é claro, o fato de que alguns de seus downloads são ilegais. Nada acontece com ninguém, presume-se, mas caso você fosse investigado por isso, seu provedor seria, conseqüentemente, molestado pelas autoridades.

Por ambas as razões, o que se faz é bloquear a navegação em determinados sites, o download de torrents, do software de gerenciamento destes, etc. ou retardar tanto a navegação e o uso que nós mesmos somos aqueles que desistem e deixam de fazer downloads nas redes P2P.

A conexão VPN o ajudará a evitar esse tipo de bobagem e a baixar o quanto você quiser desse método.

Tarefas com informações sensíveis

Este nem sempre é o caso, mas o que é comum e cada vez mais oferecido para ser competitivo é a criptografia de pacotes de dados. Com isso você pode fazer uso de informações sensíveis, como seus dados de acesso ao banco, a partir de uma rede desprotegida, sem expô-los.

Teletrabalho

O teletrabalho com conexões não criptografadas é altamente inseguro; você estaria se conectando à rede da empresa a partir de uma rede aberta ou, na melhor das hipóteses, doméstica, facilmente hackeada.

Com este recurso, você descobre a conexão e, ao mesmo tempo, desfruta das mesmas informações que você tem no seu local de trabalho, na rede de trabalho.

Tipos de VPNs que existem

Como você pode imaginar existem muitos tipos de VPNs, este recurso pode ser oferecido de várias maneiras, embora a essência seja sempre a mesma. Assim, podemos fazer classificações diferentes de acordo com sua base, sua arquitetura ou a conexão que é utilizada.

De acordo com a arquitetura

As arquiteturas VPN que podemos encontrar nas quais uma conexão privada é oferecida são as seguintes:

Acesso Remoto

Os usuários se autenticam para conectar-se remotamente quando apropriado, acessando de forma semelhante à da própria rede local.

Com a VPN de acesso remoto, as infraestruturas de discagem que são utilizadas há tantos anos e que são baseadas em linhas telefônicas e modems são substituídas.

Ponto a ponto

O servidor está permanentemente ligado à Internet, podendo aceitar conexões remotas vindas de sites autorizados (escritórios remotos) para se conectar a um escritório central.

Cada servidor da filial é conectado através dos serviços de um provedor de Internet local, de forma que a tradicional despesa ponto a ponto com fio seja reduzida.

Tunelamento

Com esta técnica, os protocolos de rede são encapsulados uns acima dos outros, criando o que é definido como um “túnel de rede”, um túnel que aparece em uma rede de computadores. Isto requer uma unidade de dados de protocolo, ou PDU, para entrar em outro PDU encapsulado.

Com este método conseguimos um determinado roteamento de pacotes de dados sobre um conjunto de nós intermediários, que não podem conhecer totalmente o conteúdo destes. O túnel criado é definido pelas duas extremidades. O protocolo de comunicação utilizado é o SSH, que garante a criptografia das informações.

Sobre LAN

É semelhante a uma VPN com acesso remoto, exceto que utiliza a rede local do hub ao invés da Internet para fazer conexões.

Com a over LAN podemos isolar tanto serviços quanto áreas da rede interna, o que é uma melhoria na segurança que podemos oferecer com o uso de redes sem fio.

Dependendo do que eles são baseados

Por outro lado, não seria supérfluo indicar que também podemos fazer uma classificação de acordo com o que os VPSs são baseados.

Neste caso, encontraríamos aqueles que são baseados no cliente e aqueles que são baseados na web:

Baseado no cliente

O usuário se conecta a uma rede remota usando uma aplicação, requerendo informações de usuário e senha. Assim, é criado um canal de trabalho em equipe que será criptografado e servirá para realizar uma troca segura de dados.

Baseado na Web

É permitida a conexão entre diferentes redes utilizando a Internet.

Tipos de conexão

E como estamos falando de conexão, não podemos continuar sem mencionar os tipos que também existem em relação a este recurso:

Acesso Remoto

Um usuário se conecta, com um computador, a uma rede de área privada. Os pacotes são originados pelo cliente de acesso remoto, que deve se autenticar no servidor dedicado a trabalhar para ele naquela rede, e vice-versa.

Roteador para roteador

A conexão é feita pelo roteador e é este elemento que se conecta à rede privada. Neste caso, a conexão é caracterizada pelo fato de que os pacotes enviados não serão originados destes dispositivos; eles só são autenticados ao fazer e atender chamadas de conexão.

Firewall para firewall

Um firewall estabelece a conexão e se conecta a uma rede privada. Os pacotes de dados que são enviados podem ser dados por qualquer usuário que esteja usando a Internet no momento. A autenticação é feita entre uma chamada e um firewall de resposta.

Em ambientes móveis

É dada se o ponto em que a VPN deve terminar não estiver fixada em um único endereço IP, mas se move entre vários.

Eles são ideais quando você quer manter a sessão, algo que é cada vez mais solicitado nos dias de hoje, o que significa que você está trabalhando duro neste aspecto para obter um recurso confiável.

Como criar e configurar seu próprio servidor VPN Guia Rápido de Conexão

Já vimos que uma conexão VPN é uma forma de conexão a uma rede privada virtual, utilizando a Internet, para que os computadores não precisem estar interconectados. Por este motivo, muitas pessoas decidem criar seu próprio servidor com VPN.

Isto não é muito complicado, então, é claro, abaixo veremos um pequeno tutorial para fazer isso nós mesmos, mas diferenciando alguns sistemas operacionais de outros.

No iPhone e iPad com iOS

Se você está interessado em usar uma VPN em seu próprio iPhone ou iPad tablet Você será capaz de se conectar ao seu trabalho apenas por ter uma bateria e uma boa conexão. Isso permitirá que você faça pequenas tarefas sem a necessidade de usar um computador, que está se tornando cada vez mais comum.

  1. Para tablets iPhone e iPad com iOS, os aplicativos VPN vêm diretamente com um perfil de configuração. Portanto, um perfil pode ser configurado automaticamente através da entrada das “Configurações do Sistema”.
  2. Uma vez que você esteja na seção “Configurações”, vá para a seção “Geral“.
  3. Dentro dele, acesse a “VPN“.
  4. A partir deste menu você começará a criar uma nova conexão VPN inserindo os detalhes do provedor de serviços e o tipo de acesso a essa conexão.
  5. Quando tudo estiver completo, clique na opção “Salvar“.
  6. Teste o funcionamento da conexão, que, se tudo correu bem, deve ser perfeito.

No smartphone Android

No caso de dispositivos com o sistema operacional Android, o procedimento a seguir é extremamente simples, uma vez que o próprio sistema operacional tem seu próprio cliente VPN para Android.

  1. Você deve digitar “Configurações“.
  2. Vá para Wireless e Networking.
  3. Agora para “Mais” ou “Outro“.
  4. Em seguida, clique em “VPN“.
  5. Selecione “Adicionar Nova VPN” ou simplesmente “+”.
  6. Preencha o nome da conexão e do cara que você está interessado. Minha recomendação é que você coloque em PPTP.
  7. Em seguida, preencha os dados do host do servidor.
  8. Clique em “Salvar“.
  9. Agora você pode tentar acessar a VPN para verificar se ela está configurada corretamente. Ele aparecerá com as outras redes WiFi que você listou.

Outra opção é fazer uso de um aplicativo de terceiros, que existe e que não tem mais mistério do que ser baixado da Play Store, instalado e configurado.

No Windows 10

O Windows 10 facilitou a configuração de um servidor VPN, para que você possa fazê-lo em alguns passos simples sem ter muito conhecimento.

  1. Inicialmente, devemos conhecer estes fatos:
    • Endereço IP do servidor VPN.
    • Provedor de serviços de VPN. Recomendamos o uso de um serviço gratuito antes de contratar qualquer serviço premium, pelo menos até que você saiba como esse recurso funciona.
    • Nome da conexão e nome de usuário e senha da conta VPN.
  2. Você deve então fazer o login com uma conta de administrador no Windows 10.
  3. Vá para a seção “Rede e Internet“.
  4. Acesse as “Configurações do Sistema“.
  5. Clique no botão “Adicionar uma conexão VPN“.
  6. Agora é hora de inserir todas as informações que temos inicialmente: provedor, nome da conexão, endereço IP, tipo VPN (recomendamos selecionar PPTP porque é o mais utilizado) e o tipo de login (a melhor opção é colocar nome de usuário e senha).
  7. Com a conexão criada, você deve acessá-la para verificar se foi feita corretamente e se ela pode ser acessada facilmente via WiFi.

Para computadores Mac

Configurar uma VPN em um Mac se você não está acostumado a operá-lo não é tão intuitivo quanto com o sistema operacional Windows. Portanto, nossa recomendação é seguir os passos abaixo para fazê-lo corretamente.

  1. Primeiro, você deve ir para o “LaunchPad”.
  2. A partir daí, acesse a seção “Preferências do Sistema”.
  3. Dentro dela, você tem que escolher a categoria “Rede”.
  4. Uma janela se abre com os parâmetros que devem ser preenchidos para que a conexão VPN se torne efetiva.
  5. Dentro desta tela, nos colocamos na parte inferior esquerda e clicamos no botão “+”.
  6. Na nova janela que se abre, marque a opção “VPN”.
  7. É neste ponto que escolhemos o tipo de rede VPN a ser criada.
  8. Os dados que você forneceu inicialmente são então preenchidos.
  9. Uma vez que você tenha feito isso, clique no botão “Connect”. Se tudo tiver corrido bem, a conexão será efetiva sem qualquer problema a partir desse momento.

No Linux

Embora todos nós consideremos o sistema operacional Linux muito complexo, neste caso estamos olhando para um tutorial de conexão muito simples. Os passos seguintes podem ser usados para qualquer distribuição de SO e as opções terão o mesmo significado entre elas.

  1. Primeiro, abra o terminal e execute o comando “$ sudo apt-get install network-manager-vpnc“. Desta forma, obteremos um pacote necessário.
  2. Abrimos o menu “Networking“.
  3. Dentro dele, escolhemos “Conexões VPN“.
  4. Aqui, damos a opção de “Configurar uma nova VPN“.
  5. Clique no botão “Adicionar“, “Adicionar” ou “Importar”.
  6. Próximo:
    • Clique em “Importar configurações VPN salvas“. Extraia e importe o arquivo com suas informações VPN.
    • Ou, se você ainda não tem, basta preencher os dados após clicar na opção “Criar“.
  7. Na aba “Configurações avançadas”, “Autenticação TTLS” deve ser selecionada.
  8. Uma vez que os dados tenham sido gravados, clique em “OK” e uma conexão VPN pode ser criada.

Quais são as diferenças entre uma VPN e um Proxy?

Estes termos são muitas vezes confusos porque ambos podem realizar o mascaramento do nosso IP. No entanto, devemos dizer que esta é a única função do proxy; isto, ao contrário da rede privada virtual, não criptografa as informações ou fornece segurança de qualquer tipo, apenas faz solicitações em nosso lugar.

Deve-se notar também que há uma grande diferença na compatibilidade de aplicações. Enquanto o proxy seria utilizado apenas em navegadores e alguns aplicativos previamente escolhidos capazes de configurar uma conexão avançada, a rede privada virtual oferece compatibilidade com qualquer tipo de software, sendo capaz de rotear todo o tráfego.

Qual é a diferença entre APN e VPN?

Embora o conceito seja semelhante em sua sigla, ele nada tem a ver com o que estamos tratando hoje. Um APN é um ponto de acesso (nome do ponto de acesso) utilizado para se conectar a uma rede em qualquer operadora. A regra geral é que este ponto consiste em um nome de usuário e uma senha que devem ser inseridos.

Este ponto é entre uma interface existente entre uma determinada rede, por exemplo, uma rede móvel, e a rede geral da Internet. Normalmente é configurado automaticamente, mas se este não for o caso, a opção manual pode ser necessária.

Já vimos que se trata de uma rede montada em outra rede. Não é um ponto e normalmente é montado entre o dispositivo e o servidor.

Podemos fazer uma comparação para dizer que uma APN é como uma porta e uma VPN é um corredor, mas eles não estão relacionados, um não leva ao outro. A única coisa em comum é que eles requerem verificação para que o usuário em questão possa ter acesso, mas os recursos em si são duas coisas totalmente diferentes.

Recursos a considerar antes de contratar ou utilizar uma VPN gratuita ou paga

É claro, temos que levar em conta alguns aspectos. Alguns serão decisivos, outros simplesmente agregarão valor. Em qualquer caso, teremos que considerá-los para escolher o serviço que melhor se adapte ao que precisamos.

Vamos começar verificando se as VPNs que estamos considerando têm um registro ao qual relacionamos um IP e uma marca de identificação de seus usuários. Precisamos ver quais informações exatas são registradas.

Também é interessante conhecer as ferramentas utilizadas para monitorar o serviço. Em muitos casos, o relacionamento com fornecedores externos também pode ser importante: se eles trabalham diretamente com alguns, com todos eles, qual é o processo se uma solicitação do tipo DMCA é recebida?

Para muitos stakeholders, o compartilhamento de arquivos entre servidores é o principal motivo para se obter uma VPN, portanto é necessário saber quais as formas de tráfego de arquivos existentes.

Se você usa um serviço de pagamento, você também pode querer saber se o método de pagamento pode ser usado para descobrir a identidade do usuário.

Lista dos 5 melhores serviços de conexão VPN gratuita para navegação privada na WWW

Considerando aspectos como se os dados são registrados, como e por quanto tempo,m ferramentas de monitoramento, o uso de provedores externos ou a reação da VPN a determinadas circunstâncias temos sido capazes de criar um topo dos melhores serviços de conexão VPN que são gratuitos, para que você possa experimentá-los sem ter que se casar com ninguém.

ProtonVPN

Algumas características:

  • Você também pode obter uma versão por 8 euros por mês e outra por 24 euros.

Vantagens:

  • Todo o sistema é interno, não sendo necessário o uso de peças de ninguém de fora da corporação, o que é um bônus de segurança.
  • Há tráfego P2P sem limitação.
  • Estar sediado na Suíça nos dá uma medida extra de segurança em termos de privacidade.

Inconvenientes:

  • O carimbo de tempo da última tentativa de conexão bem-sucedida é monitorado, mas depois sobregravado.
  • Você pode conectar simultaneamente em apenas 2 dispositivos.

TunnelBear

Algumas características:

  • Embora seja gratuita, existe uma versão premium que custa $5 (e acima), com suas correspondentes melhorias.
  • É compatível com Windows e MacOS, assim como Android e iOS.

Vantagens:

  • Pode ser usado em até 5 dispositivos.
  • Ele gosta muito por causa de sua boa velocidade, que, no melhor dos casos, atinge 12 MB por segundo.
  • O Modo Vigilante é ideal para estar seguro em nossas conexões de rede pública, pois bloqueia todo tipo de conteúdo suspeito.
  • É muito fácil de instalar, assim como sua interface, por isso é uma opção ideal para quem não pilota muito.

Inconvenientes:

  • Como limitação, temos que considerar que seus servidores trabalham apenas da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Japão e Reino Unido, assim como da Austrália com a versão paga.
  • O limite de dados é de 500 MB, embora você tenha a opção de twittar sobre ele para dobrar essa quantidade.

CyberGhost

Algumas características:

  • Tem uma versão de pagamento de 5,99 por mês para uma assinatura de um ano, reduzida para 3,5 euros se você pagar por dois anos ao mesmo tempo.
  • Funciona em MacOS e Windows.

Vantagens:

  • A privacidade é tal que seu provedor de Internet não consegue reconhecer o que você está visitando.
  • Não há limite para o número de megabytes que você pode consumir em sua experiência de navegação, por isso é a opção preferida por aqueles que consomem muito vídeo streaming.
  • Está operacional a partir da Espanha.
  • Você pode conectar a partir de 5 dispositivos.

Inconvenientes:

  • Ele tem desligamento automático após três horas, o que significa que você tem que fazer o login novamente.
  • Para utilizá-lo em dispositivos móveis é necessário obter a versão paga.
  • Idem para velejar em alta velocidade.
  • Mais ainda, se você estiver interessado em navegar em sites que estão bloqueados de acordo com sua localização.

Hide.me

Algumas características:

  • Você pode se inscrever em uma opção de pagamento de 4 euros ou 8, dependendo dos planos Plus ou Premium. Além disso, você ganha um desconto de 45% por fazer um pagamento anual; muito a considerar.
  • A opção está disponível gratuitamente a partir de um dispositivo.
  • Podemos utilizar esta VPN gratuita no Android, iOS, Windows e macOS.

Vantagens:

  • Você tem acesso aos sites que estão bloqueados em seu país.
  • Você tem uma largura de banda mais do que interessante, sendo ideal para o usuário que gosta de consultas em várias redes.

Inconvenientes:

  • Existe um limite de transferência de dados, embora este seja bastante generoso em comparação com o TunnelBear, pois conseguimos os 2 GB.

Windscribe

Algumas características:

  • Você também pode escolher duas opções de pagamento de $9 e $4.

Vantagens:

  • Não há limite para o número de dispositivos em que a mesma conta pode ser usada.
  • Ele inclui um firewall que nos ajuda a evitar malware e um bloqueador para nos despedirmos de anúncios invasivos.

Inconvenientes:

  • Possui apenas 11 servidores, embora cada um seja de um país diferente.
  • Tem uma limitação de dados, embora seja bastante solta, de 10 GB por mês.

As conexões de Internet via VPN são 100% seguras e privadas?

As conexões criptografadas através de redes privadas virtuais são muito mais seguras do que a maioria, mas elas ainda têm suas toupeiras que precisam ser cobertas para alcançar total perfeição em termos de segurança das comunicações.

os chamados vazamentos de DNS que podem revelar muitas informações do usuário. Estes são gerados quando certos dados são vazados fora do túnel VPN, e são um problema recorrente em todas as redes privadas virtuais, especialmente nas redes livres.

As VPNs gratuitas também têm sido acusadas de vender informações de clientes para empresas de publicidade, o que é basicamente como ser enganado, pois eles vendem os dados que supostamente estão criptografando. É por isso que é sempre melhor obter uma licença paga de qualquer fornecedor.

Que perigos existem nas redes Wi-Fi públicas e por que você deve sempre usar um servidor VPN?

As redes sem fio públicas são uma verdadeira tentação para qualquer usuário, especialmente para aqueles que não têm muitos dados em seu plano mensal. Entretanto, eles podem ser mais arriscados do que as pessoas pensam.

A primeira coisa que você deve ficar claro é que quando um dispositivo se conecta a uma rede WiFi, ele também se comunica com os outros dispositivos da rede indiretamente. Uma pessoa suficientemente hábil pode ficar entre o roteador e um dos dispositivos e acessar os dados enquanto viaja através do espectro de rádio no que é conhecido como um ataque “Homem no meio“.

Este é um dos maiores incentivos ao uso de redes VPN, pois elas criptografam todo o tráfego e quando alguém tenta interpretá-lo não consegue, pois tudo está perfeitamente criptografado.

This post is also available in: English (Inglês)

Deixe um comentário